EDITORIAL

15 ANOS DE REALIZAÇÕES

Nesta edição especial do #SimineralON, a trigésima terceira, celebramos os 15 anos da fundação do Sindicato das Indústrias Minerais do Estado do Pará. Para os íntimos, o Simineral. Quando nascemos, há uma década e meia, nos idos de 2007, nosso propósito era ser um espaço de reflexão e articulação para o crescimento do segmento da mineração. Dessa forma, nos tornando um legítimo canal de interlocução junto ao Estado e à sociedade civil, na busca de uma política de desenvolvimento setorial, segurança jurídica, investimentos em infraestrutura, eficiência no licenciamento ambiental, disseminação de cultura mineral, entre outros desafios.

15 anos depois, em uma visita a nossa história, já é possível afirmar que atingimos aquela meta sonhada por nossos membros fundadores. Tudo o que aconteceu de mais importante para a mineração paraense nesse espaço temporal foi conversado, debatido e estudado pelo Simineral e a sociedade reconhece esse esforço em variados segmentos, da indústria aos poderes constituídos, da imprensa à academia, de instituições célebres ao mercado financeiro. Sonhamos que os 15 anos próximos sejam de ainda mais realizações, avanços e desenvolvimento para o Simineral e para todo o amado estado do Pará.

Anderson Baranov

RETROSPECTIVA

SOBRE QUEM SOMOS

Foi da casa em que mora na cidade de Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais, que o primeiro presidente do Sindicato das Indústrias Minerais do Estado do Pará, Eugênio Victorasso, falou ao Simineral ON. Aposentado desde 2015 da Vale, hoje, ele gere negócios próprios na bolsa de valores. À frente do Simineral entre os anos de 2007 e 2011, Victorasso participou da fundação do Sindicato. Foi ele quem conversou, pessoalmente, com representantes daqueles que, mais tarde, seriam conhecidos por nós como “membros-fundadores” do Simineral: a Alcoa, a Imerys e a Mineração Rio do Norte, além da Vale, representada por Eugênio.

“Primeiro eu visitei o Sindicato das Mineradoras de Minas Gerais para saber como funcionava. Depois, em Belém, conversei ainda com o (José) Conrado, da Fiepa, que incentivou a criação do Simineral”, lembra. “O Pará é um estado grande e que precisa discutir a mineração, uma indústria que, sem ela, não existiria nada. O setor precisava se unir para ter força para difundir a mineração feita no Pará para a sociedade”, disse.

Promovido a um cargo de diretoria, na Vale, Victorasso passou o bastão do Sindicato para José Fernando Gomes Júnior. Hoje, o Secretário de Desenvolvimento, Mineração e Energia do Pará, que esteve à frente do Simineral de 2011 a abril de 2021, lembra como foi a década de dedicação pelo setor. “Resumir essa década à frente do Simineral não é tarefa fácil. Foi um trabalho que além de empregar dedicação, também empregava muito amor. Logo no ano seguinte à saída do nosso querido presidente Victorasso, inauguramos, em Belém, a Casa da Mineração, em parceria com o Ibram (Instituto Brasileiro de Mineração). E a partir daí desenvolvemos inúmeros projetos, como por exemplo, o concurso de redação para estudantes de escolas públicas, o Anuário Mineral do Pará, o Prêmio Simineral de Comunicação, o Simineral ON, e dezenas de outros trabalhos que fizemos neste tempo”.

Fernando deixou o Simineral em abril de 2021 para assumir a titularidade da Secretaria de Desenvolvimento, Mineração e Energia do Governo do Pará. Desde então, é o Vice-Presidente de Relações Governamentais da Hydro, Anderson Baranov, quem preside o Simineral. Há 8 meses no cargo, o atual presidente tem o desafio de comandar as comemorações dos 15 anos do Simineral, que inclui uma extensa lista de programações a partir de janeiro de 2022. Com mais de 30 anos de carreira e atuando em diversos projetos nas áreas de gestão, vendas, comunicação, gerenciamento de crise e sustentabilidade, Anderson Baranov vem construindo uma grande história de contribuição para o setor da mineração. “O Simineral é um sindicato que cresce a cada dia porque não para, nunca, de inovar. E isso é uma percepção não só nossa, mas do mercado, dos nossos associados e da sociedade civil como um todo. O Sindicato seguirá trabalhando pelos mesmos valores que foi fundado e contribuindo, no que for necessário, pelo desenvolvimento econômico e social do estado do Pará”.

Eugênio Victorasso
2007 - 2011

José Fernando Gomes Júnior
2011 - 2021

Anderson Baranov
Presidente do Simineral

VOCAÇÃO E LEGADO

O SIMINERAL E A EDUCAÇÃO

A Diretora Executiva do Sindicato das Indústrias Minerais do Estado do Pará,, Poliana Bentes, falou ao podcast do SimineralON sobre os projetos do Sindicato e do setor que, ao longo dos anos, se dedicaram ao tema da educação.

BALANÇO 2021

BARANOV FALA SOBRE O ANO DO SIMINERAL


Assista ao vídeo

INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 26 DE DEZEMBRO

PATROCÍNIO
CULTURA DE BELÉM

INSTITUTO CULTURAL VALE LANÇA SEGUNDO EPISÓDIO DE WEBSÉRIE

O segundo episódio da websérie Papo de Raiz já está no ar e, desta vez, o cantor e apresentador Jeff Moraes nos leva para conhecer uma iguaria que as pessoas amam e também faz parte da nossa cultura, mas muitos não se dão conta: o chocolate. Em uma conversa com dona Nena, uma microempresária regional, Jeff mostra a relação dela com a Ilha do Combu e o seu papel como disseminadora da cultura ribeirinha do Pará e também as suas referências culinárias.

Desenvolvida pela Vale e pelo Instituto Cultural Vale, a websérie Papo de Raiz é uma homenagem à história e à identidade de Belém, trazendo personagens que usam a cultura como inspiração, assumindo um novo olhar para as perspectivas criativas que surgem por influência da vivência na região. A narrativa dos episódios é embalada por uma trilha composta por tambor em ritmo de carimbó e uma letra falando sobre expressões artísticas belenenses, como Círio, peixe, açaí, música de aparelhagem, carimbó e diversos outros elementos.

Assista o episódio "Sabores"

HYDRO

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO BENEFICIA MAIS DE 11 MIL, EM 2021

No mês de celebração do Dia Internacional do Voluntariado, o Programa Voluntários em Ação, que reúne empregados da Hydro, Albras, de empresas contratadas e familiares, faz um balanço das diversas ações realizadas ao longo de 2021 e apresenta números expressivos. Por meio da Campanha “É Hora de Colaborar” (plataforma de doações, alimentos não perecíveis, itens de higiene pessoal e leite para bebês), a iniciativa arrecadou mais de R$ 12 mil em doações; 8,8 toneladas de alimentos; 2.700 itens de higiene feminina e alimentou mais de 200 bebês. As doações beneficiaram 11.400 pessoas, em mais de 40 comunidades e organizações da sociedade civil (OSCs), nos municípios de Belém, Barcarena, Abaetetuba, Tomé-Açu, Acará e Paragominas, no Pará, e no Rio de Janeiro.

A pandemia da covid-19 provocou o aumento das desigualdades sociais e econômicas em todo o mundo e, no Brasil, segundo pesquisa realizada com o apoio da Oxfam Brasil Action Aid, a fome teve um crescimento de 27,6% ao ano. Para minimizar os impactos desse cenário na vida de tantas famílias, o programa Voluntários em Ação desenvolveu uma grande campanha de mobilização. Por acreditar que o voluntariado empresarial pode contribuir com a transformação social nos municípios onde a empresa atua, a Hydro é integrante do Conselho Brasileiro de Voluntariado Empresarial (CBVE), entidade que promove o voluntariado dentro e fora do país, além de ser um espaço para compartilhamento e criação de experiências.

AJUDE, DOE

FOMENTO À PESQUISA

ALCOA INVESTE EM INOVAÇÃO NO OESTE DO PARÁ

Para contribuir com a formação dos acadêmicos, crescimento econômico e o desenvolvimento sustentável das comunidades na região Oeste do Pará, a Alcoa Foundation aprovou investimento de US$ 403 mil (o equivalente a R$ 2,2 milhões) para aquisição de equipamentos e fomento à pesquisa do Centro Tecnológico em Geociências e Engenharia Aplicada da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), com sede nos municípios de Santarém e Juruti. O Centro Tecnológico é uma forma de investimento em pesquisa científica e inovação tecnológica voltada à mineração e ao desenvolvimento sustentável, tornando possível a capacitação de novos talentos com valores desenvolvidos na universidade como responsabilidade socioambiental, sustentabilidade e economia circular, os quais farão a diferença na indústria mineral.

O Centro objetiva formar mão de obra local qualificada a partir dos cursos de Geologia, Geofísica e Bacharelado Interdisciplinar em Ciências da Terra, ofertados no Campus de Santarém, e Engenharia de Minas, ofertado no Campus de Juruti. De acordo com a Ufopa, os cursos envolvidos possuem potencial para atuar em distintas áreas do conhecimento das Ciências da Natureza e Exatas. “Temos certeza de que toda a comunidade de Juruti e Santarém ganham com implantação deste centro, pois a pesquisa científica trará ainda mais indicadores de sustentabilidade para a atividade de mineração na região, beneficiando diferentes e diversas áreas da comunidade local, afirma Genesis Costa, gerente geral da Alcoa Juruti.

O Centro Tecnológico contará com um espaço descentralizado de laboratórios com equipamentos modernos, museu de amostras de rochas e fósseis da região tapajônica e auditório para realização de eventos científicos. Será dividido em duas unidades: Santarém e Juruti. A Unidade de Juruti contará com o Laboratório de Geoestatística e Planejamento em Mineração e auditório com capacidade para 60 pessoas, totalizando uma área de 100 m². A Unidade de Santarém contará com quatro laboratórios (2 espaços para Geofísica e 2 espaços para Geologia), Museu em Geociências e auditório com capacidade para 60 pessoas, totalizando uma área de 480 m².

SINOBRAS

INSTITUTO AÇO CEARENSE PRESENTEARÁ MAIS DE 400 CRIANÇAS

Há sete anos, o Instituto Aço Cearense ressignifica o Natal de crianças em situação de vulnerabilidade social no Ceará, no Tocantins e no Pará, onde estão situadas empresas do Grupo Aço Cearense. O imaginário natalino das crianças envolve um momento mágico, com presentes e a figura do Papai Noel, e tudo isso é levado muito a sério pelos colaboradores das empresas do Grupo, que se dedicam a realizar os sonhos de Natal dos pequenos mais carentes durante a campanha Abraço Feliz, que já beneficiou 2.500 crianças e 12 instituições.

A campanha começa com as crianças, que são assistidas por entidades apoiadas pelo Instituto, escrevendo cartinhas com pedidos de presentes que são adotadas pelos colaboradores das empresas Aço Cearense Comercial, Aço Cearense Industrial, SINOBRAS e SINOBRAS Florestal. Desde o ano passado, a dinâmica mudou e no lugar de cartas, elas estão gravando áudios que são acessados por meio de um QR Code disponibilizado em enfeites que ficam nas árvores de Natal espalhadas pelas empresas. Ao final da campanha, o Instituto Aço Cearense arrecada e leva os presentes para as instituições. As crianças recebem o presente e um vídeo é enviado para o padrinho que adotou o pedido.

A Presidente do Instituto Aço Cearense, Rosemeire Matos, explica que em decorrência da pandemia de Covid-19, a campanha foi adaptada para que as crianças não fossem expostas ao contato físico, mas continuassem a receber os presentes dos colaboradores. “2020 e 2021 foram anos muito difíceis. Além da questão sanitária, vimos a vulnerabilidade social aumentar também. A campanha Abraço Feliz sempre foi um ato de afeto com essas crianças que já sofrem tanto em seu dia a dia, então resolvemos adaptar para o digital e continuar a presentear os pequenos”, destaca.