EDITORIAL

A MINERAÇÃO
QUE QUEREMOS

No setor mineral, todos sabemos que a indústria da qual fazemos parte pode impactar positiva e negativamente os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Organizações das Nações Unidas (ONU). Nos últimos anos, entendemos ter feitos sinais e avanços concretos para melhorar o modo de geração de impactos ambientais e sociais, seja na proteção da saúde dos empregados das empresas, no alcance da eficiência energética, no respeito e apoio aos direitos humanos, ou seja em proporcionar oportunidades de emprego decente e promover o desenvolvimento econômico.

Aqui no Pará, o maior exportador de minérios do Brasil, algumas dessas atitudes, iniciativas das empresas, saltam aos olhos no caminho de um futuro mais sustentável. E um futuro breve. Nesta edição do Simineral ON, por exemplo, dedicada à pauta do Meio Ambiente, contamos alguns dos muitos programas mantidos por nossas associadas. Como por exemplo, os Sistemas Agroflorestais, da Vale, em Canaã dos Carajás; o aporte de R$ 1,1 bilhão, da Hydro, para a substituição de óleo combustível da sua refinaria Alunorte, em Barcarena; o redutor bioenergético para produção do aço, na Siderúrgica da SINOBRAS; a reabilitação de áreas mineradas, da Alcoa, que gera renda para agricultores de Juruti; entre outros. Sabemos que avançamos muito, mas que ainda é preciso mais.

Também temos a felicidade de receber o Secretário de Estado de Meio Ambiente do Pará, Mauro O’de Almeida, que falou ao nosso podcast sobre o projeto Territórios Sustentáveis, que tem conquistado grandes avanços, sobretudo, nas áreas mais afetadas pelo desmatamento no Pará.

Convido a todos a conferirem o Simineral ON.


Anderson Baranov
Presidente do Simineral

PODCAST

TERRITÓRIOS
SUSTENTÁVEIS

Em conjunto com outros órgãos estaduais, a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Governo do Pará atua no campo com ações em prol da regularização fundiária e ambiental e de apoio aos produtores rurais, com fomento de produção, assistência técnica e acesso a linhas de crédito. Esta atuação é promovida pelo programa Territórios Sustentáveis, que é um dos eixos do Plano Estadual Amazônia Agora (PEAA), a macroestratégia ambiental implantada pelo governo do estado. Sobre este assunto, conversamos com Mauro O’de Almeida, Secretário de Meio Ambiente do Governo do Pará.

COMPROMISSO DA VALE

A CONSERVAÇÃO DO BIOMA
AMAZÔNICO

Por trás das florestas, há pessoas à frente de negócios de impactos socioambientais positivos para o uso da terra. Este é o foco da campanha publicitária regional sobre florestas que a Vale está veiculando durante todo o mês de junho no Pará, dando visibilidade às ações desenvolvidas para recuperar e proteger áreas em busca do nosso objetivo de nos tornar uma empresa carbono neutro até 2050.

Entre os exemplos de atuação sustentável na relação do homem com as florestas estão os Sistemas Agroflorestais (SAF’s), em Canaã dos Carajás, e cooperativismo por meio da coleta de sementes de jaborandi junto à Cooperativa dos Extrativistas da Flona Carajás (COEX Carajás). Ambos ilustram o filme institucional, que mostra a participação direta da empresa na conservação do Bioma Amazônico. Clique e confira.

SUSTENTABILIDADE

AS METAS DA
HYDRO PARA UM
FUTURO VERDE

A Hydro tem como propósito criar uma sociedade mais viável, ao desenvolver recursos naturais em produtos e soluções de forma inovadora e eficiente. No Brasil, a maior parte dos seus ativos, operações e empregados está localizada no estado do Pará, especificamente na Região Amazônica. A empresa não subestima o desafio de produzir alumínio nesta área e tem plena consciência da importância e da sua responsabilidade de gerenciar e reduzir impactos. Por isso, foram estabelecidos rígidos padrões de controle, monitoramento e prevenção.

Recentemente, a Hydro anunciou investimento de R$ 1,1 bilhão para a substituição de óleo combustível da sua refinaria Alunorte. Trata-se de um projeto-chave para a estratégia climática da Hydro e o compromisso global da companhia de reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 30% até 2030. Com a substituição do óleo combustível pesado por gás natural, as emissões anuais de CO2 da refinaria serão reduzidas em 600.000 toneladas. O projeto também está em linha com o compromisso da companhia com o Governo do Pará de apoiar o uso desta energia na região, incluindo o acesso a outros consumidores regionais.

CONHEÇA MAIS PROJETOS DA HYDRO
Tecnologia da Hydro vai eliminar construção de novas barragens  
Hydro vai investir em projeto de substituição de combustível na Alunorte  
Consórcio de Pesquisa em Biodiversidade - BRC  

MEIO AMBIENTE

SINOBRAS REFORÇA COMPROMISSO

SINOBRAS investe em projetos e possui práticas que promovem a gestão ambiental engajada com conceitos sustentáveis do negócio como reprocessamento interno de coprodutos na sinterização, recirculação de água nos processos produtivos, envio de resíduos para coprocessamento em cimenteiras, redução do consumo de energia elétrica na produção de aço no forno elétrico com o uso de gusa líquido e aproveitamento do potencial energético do gás de Alto Forno no forno de reaquecimento da Laminação - em substituição ao GLP.

A siderúrgica tem o seu próprio fornecedor de redutor bioenergético para produção do aço: a SINOBRAS Florestal, que possui 16 fazendas próprias de plantio renovável de eucalipto, em uma área de 35.531 hectares. A empresa é também a maior recicladora do Norte/Nordeste brasileiro, produzindo aço com 70% de sucata e 30% de ferro gusa líquido, proporcionando que a sucata seja destinada para reciclagem e se transformando em novos produtos, e não sendo descartada em aterros sanitários e/ou causando contaminação do meio ambiente.

REABILITAÇÃO DE ÁREAS

GERAÇÃO DE
RENDA PARA
AGRICULTORES

Um método pioneiro desenvolvido pela Alcoa no município de Juruti, no Oeste do Pará, permite a restauração de áreas mineradas e contribui para o desenvolvimento social e econômico de comunidades rurais da região de Juruti Velho. Desde 2011, quando o Programa de Reabilitação de Áreas Mineradas foi implantado na unidade, 1.244 hectares foram recuperados, o que equivale a uma área composta por 1.739 campos de futebol, com medidas oficiais, segundo os padrões atuais.

De acordo com a engenheira Florestal, Susiele Tavares, responsável pelo Programa, a tecnologia aplicada está na vanguarda do mercado mineral e agrega, ainda, um componente social com a participação das comunidades na produção, venda e plantio das mudas, com orientação e apoio da empresa.“Esse é o diferencial do nosso Programa. Aqui estamos conectados com as comunidades. Eles conhecem as demandas de cada localidade, sabem que tipo de muda pode crescer em determinado local. É uma via de mão dupla: fazemos a nossa parte em relação à proteção e recuperação das áreas mineradas e a empresa ajuda os moradores a aumentarem a renda, com o plantio de mudas”, explica Susiele.

SANTARÉM

CONHEÇA O
ZOO UNAMA

O Zoológico da UNAMA é o único no Brasil mantido por uma instituição de ensino superior particular, que desenvolve ações comunitárias e ambientais. Ao longo de quatorze anos, o ZOOUNAMA tem desenvolvido trabalhos agregados à iniciação científica, reabilitação de animais e educação ambiental no município de Santarém. O zoológico tem se destacado, em toda região do Oeste do Estado do Pará, como o único espaço que possui a excelência de trabalhar a recuperação de animais silvestres da fauna e flora amazônica. O ZOO ocupa uma área de 149 hectares, e tem em seu ambiente mais de 300 espécies identificadas entre aves, mamíferos e répteis.

O espaço também possui atividades de resgate destes animais silvestres com o apoio dos órgãos ambientais como o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis e o 4° Grupamento do Corpo de Bombeiros. Escolas, grupos de alunos do ensino fundamental e médio, acadêmicos da UNAMA – Centro Universitário da Amazônia, além de outras instituições de ensino superior do município, realizam constantemente visitas técnicas e pesquisas educacionais sobre fauna e flora no ZOOUNAMA.

JUNHO

A DIVERSIDADE
E AS EMPRESAS